domingo, 13 de novembro de 2016

Rats - Notte di terrore (Itália, França, 1984)

Filme: Rats - Notte di terrore / Rats: Night of Terror / Ratos - A Noite do Terror
Diretor: Bruno Mattei, Claudio Fragasso
Ano: 1984
País: Itália, França
Duração: 97 minutos
Elenco: Ottaviano Dell'Acqua, Geretta Geretta, Massimo Vanni 

No ano 2015, em decorrência da estupidez humana, ocorreu uma guerra atômica e após a explosão de centenas de bombas, os cinco continentes se encontram em destroços. Séculos depois, no ano 215 D.B. (depois da bomba) os humanos tentam reconstruir a sociedade nos subterrâneos para não sofrerem com a radiação da superfície, mas uma nova raça, denominada Novos Primitivos, que é discriminada pelos demais, decide voltar a viver na superfície.

Após esta introdução, nos é apresentado um grupo de rebeldes, naquele visual punk-brega-militar-descolado-pós-apocalíptico na visão dos anos 80, liderados por Kurt, contando com um pessoal que atende pelos criativos nomes de Taurus, Lúcifer, Lilith, Myrna, Chocolate, Kat, Diana, Video, Duke, e até mesmo Deus!



Eles perambulam pela cidade abandonada e destruída até que param em um prédio abandonado. Lá encontram um estoque de mantimentos, que aposto já estarem vencidos, e se divertem saudavelmente dançando e se jogando farinha. Eles encontram uns corpos roídos e muitos ratos passeando pelo recinto, mas até aí tudo bem. Durante a noite Lúcifer e Lilith após serem repreendidos por Tauros ao tentarem copular no meio de todo mundo vão para um local reservado e podem assim se aliviar. Lúcifer quer repetir a dose, mas Lilith está cansada, sendo assim ele sai enfurecido enchendo a cara e dando um passeio pelo local, enquanto Lilith se abriga em seu saco de dormir. Lúcifer, idiotamente deixa a garrafa cair em um bueiro e fica lá saracoteando pendurado no buraco enquanto alguns ratinhos vão saltando sobre ele até ser soterrado por uma baciada de ratos. 

Já Lilith é castigada pela justiça roedora quando um rato invade seu saco de dormir e, obviamente o zíper fica preso, deixando ele se aproveitar dela, que em seguida é encontrada morta, sem sinal de ferimentos. Mesmo morta ela vai abrindo a boca, de onde lentamente vai saindo um rato que, sabe se lá por onde entrou...


Neste ínterim, Noah, que encontrou uma estufa com diversas plantas e um reservatório de água purificada, percebe que ela não é tão potável, pois vê alguns ratos usando-a para mergulho. Ele tenta intervir mas é atacado por ratos saltadores e não consegue reagir. Logo depois ele é encontrado desesperado cheio de roídas e com ratos pendurados pelo corpo. Seus bons amigos rapidamente resolvem o problema e se livram dos ratos com um lança-chamas fazendo-os queimar até a morte, assim como ele próprio.

A fuga é frustrada por que os pequenos inimigos roeram os pneus dos veículos, mesmo assim acho que seria mais prudente seguir a pé, mas não, eles nos garantem mais emoções e mortes ficando no prédio. Em mais um dos ataques das ratazanas, Taurus, o Chuck Norris pós-apocalíptico é encontrado morto em pé. Ele então incha e EXPLODE, permitindo a saída de um ou outro ratinho que nele se alojavam.



Se já não bastassem os ratos sedentos por sangue, ainda ocorrem desavenças entre Kurt e Duke, disputando a liderança do grupo que vai sendo dizimado aos poucos. Em um surto de insanidade, Duke, com Myrna como refém, decide matar os ratos com uma granada, o que faz com sucesso, apesar de se explodir com os ratos e levar Myrna consigo.

Diana, já parcialmente roída e cansada decide abandonar este abominável mundo novo e suicida-se, antes de ser devorada pelas ratazanas assassinas. Agora o grupo está reduzido a apenas quatro pessoas: Kurt, Video, Chocolate e Deus. Eles se abrigam na sala do computador, que sabe-se lá como ainda funciona, e escutam uma gravação que diz que os ratos deixaram os subterrâneos que deram lugar aos humanos e, com a radiação, se tornaram mais inteligentes e passaram a se alimentar de humanos. Os poderosos ratos conseguem derrubar a porta e vitimam Kurt e Deus. Sim, meus amigos, neste futuro apocalíptico não há lugar para Deus. Mas quando se está deitado no chão, com dois ou três ratinhos por cima do corpo não é muito difícil levantar e se livrar deles, mas talvez seja esta a razão de serem chamados de Novos Primitivos, em que sua extinção é iminente. 


Agora parem de ler se não querem saber o gran finale desta obra de arte, já que o aviso de spoilers nunca foi tão necessário como neste filme. Então, agora restam apenas Video e Chocolate, enquanto aparece uma equipe de resgate armada e trajando máscaras de gás. Os dois sobreviventes pensam estar encurralados pelos ratos e cogitam o suicídio, o que me fez imaginar um final como em O Nevoeiro, mas não, se segurem para o estarrecedor desfecho! A equipe de resgate vai eliminando os ratos com o gás e salvam a dupla. Quando Chocolate está feliz por estar viva e citando um livro que dizia que Deus criou os humanos e os animais e todos viveriam em paz, mas como Deus está morto (em clara referência nietzscheana (pobre Nietzsche ser mencionado em um filme de Bruno Mattei)) neste instante um dos integrantes da suposta equipe de resgate tira lentamente sua máscara, revelando sua real face. E ele não é humano. ELE É UM RATO GIGANTE! Fim!!
---------------------------------------------------------------------------------------


Depois de passar o impacto desta película, podemos refletir sobre o que acabamos de assistir. Então, o filme que parecia não fazer sentido fez uma crítica profunda (também nem tão profunda assim) apontando os seres humanos como as verdadeiras pragas do planeta? Bem, não é preciso pensar muito para saber disso, mas este final causa essa impressão de "que final horrível" ou "que final fantástico".
Bruno Mattei, acredite se puder, diz que se inspirou em A Noite dos Mortos Vivos para fazer Rats, mas ao invés de zumbis, ele deu seu toque pessoal e os substituiu por ratos situando o filme num mundo pós-apocalíptico devastado pelas guerras nucleares. Segundo ele, foi extremamente difícil trabalhar com ratos, ainda mais quando alguns dos ratos eram na verdade porquinhos da índia pintados de cinza ou eram ratos falsos.
E parece que Mattei via mesmo os ratos como grandes ameaças, já que é um deles que desencadeia a zumbificação em Virus, e agora dominam o mundo.
Além da terrível ameaça roedora, o filme ainda é completado pelos ridículas atuações dos personagens caricatos, parecendo saídos de um reality show, cada um escolhido por sua especialidade. Se as atuações são ruins, os diálogos são ainda piores e com um roteiro com o padrão de qualidade Bruno Matteri & Claudio Fragasso, tudo isso fazendo o filme figurar sempre em listas de piores filmes já feitos. Mas, assim como Virus, se você não levar muito a sério e gostar destas tranqueiras, certamente vai se divertir muito com esta uma hora e meia inesquecível de cinema sem qualidade alguma. 


O filme saiu com uns nomes bem criativos ao redor do mundo, como "Después de la bomba", na Colombia, "Año 225, después del holocausto" ou "Año 225, después del apocalipsis" na Espanha. No Brasil ficou como "Ratos - A Noite do Terror", neste caso não dá pra reclamar da tradução nacional.
Já falei um pouco sobre o "trabalho" dos diretores na postagem de Virus, e assim como naquele filme, neste a dupla também não tem coragem de se identificar como os diretores do filme. Bruno Mattei consta novamente como Vincent Dawn e Claudio Fragasso não é creditado.

A ameaça de ratos na ficção já vem de muito tempo. Para citar algumas de suas aparições perturbadores nos livros, eles perturbam as pessoas no conto O Poço e o Pêndulo (Edgar Allan Poe, 1842) e no livro 1984 (George Orwell, 1949). Nos filmes eles dão o ar da desgraça em muitos filmes, inclusive alguns até mais trashs que Rats, como Willard (1971), que teve um remake em 2003, e sua sequência Ben (1972); A Fúria das Feras Atômicas (1976); Rats/Deadly Eyes (1982); O Inimigo Desonhecido (1983); Ratman (1988), A Criatura do Cemitério (1990); Altered Species/Rodentz (2001); Rat Scratch Fever (2011). Um que fiquei curioso para ver é o Nezulla, um filme janponês com um rato-monstro. Parece promissor!

Rats é uma boa pedida para fazer uma sessão dupla junto com Virus, tanto que existe uma versão em Blu-ray com ambos filmes. Diversão garantida ou seu download de volta! 

Um comentário:

  1. Poderiam fazer uma matéria sobre o fraquinho filme Dylan Dog e as criaturas da noite baseado na hq de terror , Dylan Dog que retorna a ser publicada em 2017 pela Editora Lorentz, e foi vencedora de 2 hq mix de melhor hq de terror. o filme é fraquinho demais mas a hq é ótima.

    ResponderExcluir