quinta-feira, 16 de maio de 2013

Terror Firmer (EUA, 1999)


Filme: Terror Firmer
Diretor: Lloyd Kaufman
Ano: 1999
País: EUA
Duração: 114 minutos
Elenco: Will Keenan, Alyce LaTourelle, Lloyd Kaufman 

Terror Firmer é um filme de 1999 que, além de distribuído pela Troma, foi produzido pela própria, sendo dirigido por Lloyd Kaufman, que juntamente com e Michael Herz foram os fundadores da produtora. 
De cara nos deparamos com uma assassina em série que arranca a perna de um homem e o espanca com esta; que faz um aborto manual, retirando um feto (que chora!) do ventre da mãe com as próprias mãos; e que mata um homem o soterrando sob montanhas de cereal, fazendo valer o trocadilho Cereal Killer. Acho que isso já é motivo o suficiente pra continuar assistindo, não acham?

No momento seguinte um homem atira em sua própria cabeça, espalhando carne moída por todo lado mas não morre. Uma cena tão absurda como esta só podia ser de um filme, que é exatamente o caso. Se trata de uma cena filmada por uma incomum equipe, tendo como diretor Larry Benjamin, interpretado por Lloyd Kaufman, só que no filme é cego e não pode ver as confusões, bagunças e orgias que a sua própria equipe apronta enquanto produz a sua arte.  Mesmo assim é um lugar razoavelmente pacífico, salvo algumas pequenas brigas, onde a segurança das pessoas é respeitada não fossem os assassinatos que passam a ocorrer.


Durante a produção do filme, a assassina vai eliminando integrantes da equipe. Isso acontece com Toddster, o sonoplasta que, pelas mãos da sádica maníaca, literalmente enche o rabo de cocaína por meio de um funil. Ela ainda o desfigura enquanto se masturba, arrancando o cérebro deste indivíduo, que depois é transformado em um bizarro chafariz. Outra vítima é o financiador do filme que é morto em uma memorável e absurda cena em que é triturado pela escada rolante. Um verdadeiro banho de sangue, gore e diversão para toda a família! Falando em família, vale ressaltar que enquanto a mulher que encontrou os restos do gorducho na escada dá uma entrevista ao repórter Lemmy (Motörhead), seu filho brinca com a cabeça do defunto. Nada mais natural.
De forma misteriosa, pessoas do set vão aparecendo mortas, obra de alguém que tenta a todo custo e com violência real, impedir Larry e sua equipe de produzir sua divertida e fictícia arte violenta. O que faz com que a polícia passe a investigar e Larry é o principal suspeito, mesmo sendo cego.  

Durante os assassinatos, se passa um triangulo amoroso entre Jennifer, Casey e Jerry. Jennifer é a assistente de produção; Jerry é o cara dos efeitos especiais e um entusiasta em filmes trash que brinca e se diverte durante esta produção. Já Casey (Will Keenan, o Tromeo de Tromeo & Juliet) é o sonoplasta otário metido a fortinho, com educação religiosa pelo pai (que é interpretado por Ron Jeremy, o ator pornô), e daqueles adoradores de Spielberg que não apreciam o cinema independente de baixo orçamento. 

O filme que é produzido pela equipe é do Vingador Tóxico e não há muito sentido ou ligação entre as cenas, o que não é necessariamente um ponto negativo. Vemos cenas do Toxie mandando ver em uma atriz com muito potencial, entre outras. Além do mítico Vingador Tóxico, outro personagem da Troma que aparece é o Sargento Kabukiman, como integrante da equipe de produção.

Apesar de toda bagunça que é o set de filmagem deste filme dentro de Terror Firmer, algumas coisas devem ser semelhantes ao que produtoras independentes como a Troma sofrem realmente, como o ataque por parte da crítica que apenas aponta falhas nos filmes sem ver nenhuma qualidade, ou pelos conteúdos tidos como tabu ou de preconceito que vão contra os "valores familiares" da sociedade, que são apresentados no filme como aborto e a homossexualidade, masculina e feminina. Inclusive há uma cena em que alguns figurões tentam convencer Larry a retirar a cena de aborto, mas o diretor se nega. 



O filme é bastante divertido e mostra tudo que a Troma tem de melhor a oferecer, com muitas piadas, tirando sarro de todo mundo (inclusive do Spielberg), cenas de nudez e sexo, brincadeiras metalinguísticas e sangue, que não é como nos filmes japoneses, mas há bastante nas várias cenas criativas de mortes. Não faltam cenas absurdas como o gorducho com o diminuto instrumento correndo pelado pelas ruas de Nova York, e a real identidade da vilã, entre várias outras e sem deixar de esquecer a cômica e sempre carismática atuação de Lloyd Kaufman, que fazem desta uma obra a ser assistida pelos apreciadores do trash.  Certamente um dos melhores filmes da Troma.



Outro ponto positivo é a boa trilha sonora, com bandas de punk rock não excelentes, mas até legais e o filme inicia bem com uma versão de Amazing Grace do Entembed. E ainda conta com a participação da banda Lunachiks. Só acho que a trilha poderia ser mais hardcore para se adequar mais com a violência do filme.

Se os dados do IMDb estão corretos, o orçamento do filme é estimado em $ 500.000 mas arrecadou apenas $ 1.434 sendo exibido em apenas dois cinemas. A Troma fez o documentário The Making Of Terror Firmer (2001) mostrando como foi a produção deste filme (que tem um filme dentro dele).

Terror Firmer é uma homenagem a gente como Lloyd Kaufman e a Troma que, mesmo com poucos recursos fazem filmes criativos, produzidos por pessoas que, principalmente, se divertem com o que fazem e se dedicam a isto sem preocuparem-se em fazer algo apenas para ganhar dinheiro. E como dito no fim do filme, este é o tipo de cinema criativamente livre, que não é dominado por organizações, sociedade, religião e autoridades, expondo com coragem temas controversos para estes. Além disso é um incentivo às pessoas criarem seus próprios filmes, pois com criatividade e boas ideias, podem ser feitos filmes interessantes e divertidos, mesmo que baratos.

Então... Let's make some art!!

Nota IMDb: 5,8
Minha Nota: 8,0

5 comentários:

  1. Link adicionado !
    Teu blog está muito bom, parabéns !

    filmelixo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Valeu!
    Teu blog já tá adicionado.

    ResponderExcluir
  3. Essa cena do aborto me lembrou a cena do aborto do remake de Antropophagus. No filme original (de 1980), usaram um coelho congelado coberto com clara de ovo pra representar o feto nessa cena. Mas no remake (1999) usaram um boneco de bebê de verdade. E que também aparece chorando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante. Não sei se chega a ser uma homenagem ao Anthropophagous, já que são da mesma época, mas valeu pelas informações. Aliás, vale a pena assistir esse remake?

      Excluir
  4. Definitivamente, não. A não ser que você adore filmes mal feitos. Porque o remake é 10 vezes mais mal feito do que o original de 1980.

    ResponderExcluir